Gabriela Gomes teve um acidente tropical

Este mês de Novembro vamos receber na Confraria a Gabriela Gomes e o(s) seu(s) ‘acidentes tropicais ‘

A leitura do livro-vivo ‘acidentes tropicais’ será dia 15 Novembro às 19h e as inscrições estão abertas.

Para conhecer melhor a poesia da Gabriela Gomes e o seu livro-vivo ‘acidentes tropicais‘ partilhamos este post-entrevista. Esta entrevista foi partilhada a primeira vez no IG da Confraria.


Quem é a Gabriela Gomes? O que é para ti a poesia?
Gabriela Gomes é antes de tudo uma pessoa que escreve desde pequena mas que só conseguiu assumir isso pra si mesma em uma escrita que ultrapasse os diários quando comecei a me dedicar a escrita de poemas. Poesia pra mim é quase um modo de ver a vida. É um modo de estar no mundo e registra-lo é a nossa percepção materializada da nossa sensibilidade. A poesia me salva diariamente.

A poesia é fixar o nosso olhar num detalhe e em outro, talvez parar naqueles detalhes em que ninguém parou, é assim a poesia que vamos encontrar em ‘acidentes tropicais’?
A poesia do @acidentestropicais está inserida nesse contexto de detalhes que as vezes nos passam desapercebidos. Uma tensão entre um presente sem toque e diálogo e o saudosismo de um passado de fazer geleias de amora com a avó. O acidentes fala mais alto no cerne da autobiografia e da família. Um registo da poeta que sou e das minhas andanças neste mapa que é o mundo.

Descreves ‘acidentes tropicais’ como um #livrovivo ? Conta-nos um pouco mais.
A poesia do @acidentestropicais está inserida nesse contexto de detalhes que as vezes nos passam desapercebidos. Uma tensão entre um presente sem toque e diálogo e o saudosismo de um passado de fazer geleias de amora com a avó. O acidentes fala mais alto no cerne da autobiografia e da família. Um registo da poeta que sou e das minhas andanças neste mapa que é o mundo.

A tua poesia é uma tentativa de comunicar desde um eu muito presente e desde a própria biografia…
A minha poesia no acidentes é uma eterna busca do eu como poeta. Desse assumir. De pegar para mim o título que me cabe. Nomear é um ato de poder dizia Rosmarie Waldrop. Eu tive que me nomear poeta para conseguir me assumir escritora. Um livro teve que nascer pra eu conseguir assinar em formulários hospitalares “ocupação: escritora”. O acidentes me nomeou poeta diante do mundo mas principalmente diante de mim mesma. Um livro nomeia, me ajuda com o luto, me faz levantar da cama e escrever. Nesse primeiro livro ser autobiográfico é quase indissociável da minha poesia.  Como @estela_rosa me disse uma vez: uma mulher lendo seus poemas são todas as mulheres lendo todos os seus poemas. ♥

Para terminar, todas as escritoras/poetas também são leitoras, o que estás a ler neste momento?
É difícil cravar 100% mas acho muito difícil escrever sem ler! É preciso buscar referências, se inspirar, saber o que estão escrevendo, trocar, ler, editar, enfim. Muito da minha vinda pra Portugal veio dessa vontade de buscar novas referências, novas vozes, e outros sotaques da mesma língua. Posso dizer que estou sempre lendo varios livros ao mesmo tempo o que faz com que eu demore pra terminar mas cito aqui dois que estão me fazendo grifar todas as páginas de papel: O retorno de Dulce Maria Cardoso e Os elétrons não são todos iguais e outros poemas da Rosmarie Waldrop. Além disso estou sempre lendo amigas e amigos escritores, trocando, compartilhando e produzindo em grupo também faz a gente crescer! É isso.
Obrigada pelo espaço Confraria Vermelhae torço por mais núcleos importantes de leitura, partilha e literatura como este no mundo!

Também podem deixar as vossas questões e mensagens para a Gabi nos comentários. ⚡

Anúncios

Ciclo Idiomas & Literatura

Encontros de conversação livres

Queres aprender a falar outros idiomas e ao mesmo tempo conhecer escritoras, livros, personagens, histórias..?

Imagem relacionada

Para muitas pessoas, a parte mais difícil de aprender um idioma novo é a conversação. Isso não é surpresa, pois dependendo da rotina, a oportunidade de conversar em inglês, português, francês, espanhol ou italiano e desenvolver a fluência pode ser rara no nosso quotidiano.

A Confraria Idiomas & Literatura promove aulas livres de conversação em 05 idiomas para pessoas interessadas em desenvolver as suas habilidades comunicativas. Cada aula possui a duração de 2h e decorrerá em mini-grupos, durantes os meses Junho e Julho, sempre às 19h.

Cada semana, uma das colaboradoras do Ciclo Idiomas & Literatura se reúne com as/os participantes para praticar um idioma e viajar pela literatura do mesmo.

As conversas abordam vários temas relacionados com a Literatura da língua escolhida e a monitora ajuda as/os participantes corrigindo os seus erros, dando dicas, e introduzindo novo e variado vocabulário ao mesmo tempo que e exploram o seu universo literário de cada idioma.

Gostavas de experimentar?
Para reservar o teu lugar ou tirar dúvidas, entre em contacto connosco através do email livrariaconfraria@gmail.com

Nº mínimo: 3 alunos/máximo 6
Duração: 2h
Semana: 1 vez por semana
Mensalidade: 30€ | Sócias de vida e estudantes 25€
Aula avulsa: 8€
Horário: 19h | dia da semana a designar para cada idioma (2ª, 3ª, 4ª ou sábado de manhã)
Idiomas: inglês,português, francês, espanhol ou italiano

Oficina: Ler, relaxar, voar

A literatura envolve emocionalmente o ser humano. Através da leitura, as pessoas relacionam as novas informações com as que já povoam a sua memória e, nesse processo inconsciente, identificam-se com as personagens e os seus problemas, confrontando as situações que vivem com as que lêem, colocando-se, desta forma, no lugar das outras e dos outros. É um processo mágico que nos faz sentir a todas e a todos membros da mesma família e pertencentes à mesma natureza/geografia.

Estamos sempre a aprender e a crescer com a história das outras e dos outros. Para tal, basta mostrar abertura! Aquilo que propomos é uma oficina onde poderás descobrir livros incríveis e redescobrir novas leituras em livros que já leste, enquanto te deixas ir e flutuar cada vez mais profundamente, até ficares completamente relaxada/o.

A partir de excertos de várias obras sobre um tema, que nesta primeira sessão será a LIBERDADE, pretendemos reflectir sobre as problemáticas do mundo actual, utilizando a literatura como factor de resiliência.

4 Maio | 19h
Sessão dinamizada por Helena G. Ferreira
Incrições Abertas | Vagas Limitadas (6 lugares)
inscrição é gratuita mas obrigatória por motivos de organização.
Caso tenhas interesse em participar envia um email para livrariaconfraria@gmail.com