Biblioteca de Mulheres na Confraria Vermelha

No dia 14 de Outubro de 1901 Annie Taylor transformou-se na primeira pessoa em sobrevoar as cataratas  do do Niágara  como bala humana dentro de um barril. Esta professora e aventureira, de 63 anos, aceitou o desafio sem saber nadar e sobreviveu para o contar. As suas primeiras palavras foram: “Ninguém devia voltar a fazer isso.”

Sempre achei a sua coragem para se meter num barril e ser projectada como uma bala e as suas primeiras palavras após o feito, inspiradoras.

Na história existiram centenas de mulheres bala: mulheres que como Annie Taylor saíram projetadas atrás dos seus sonhos, vocações e desejos. Algumas concluíram as suas ‘viagens’ e puderam conta-las, outras infelizmente não. Umas são conhecidas, outras desconhecidas e outras foram simplesmente esquecidas mas todas elas mulheres-bala. Mulheres pioneiras. Mulheres inspiradoras. Mulheres criativas. Mulheres que como os peixes não podem deixar de se mover e de criar para respirar, para se sentirem vivas.

Foram todas estas mulheres que motivaram e inspiram cada dia a Biblioteca de Mulheres da Confraria Vermelha. Ao fim de contas, tudo se reduz a estar disposta a ser propulsadas, a ser transformadas em balas humana porque mesmo errando o alvo ou que o rumo seja alterado, sempre acabamos num (novo) lugar. Não importa qual, porque sempre vale a pena mover-nos e acreditar. Talvez não seja a viagem que imaginamos, mas talvez, como disse Archibald Holmes, podemos dizer: “Cumpri o objectivo que me propus… quase todos tentaram dissuadir-me de que não o tentasse, mas achei que devia fazê-lo e que o podia conseguir.” 

E assim, nasce esta Biblioteca de Mulheres… achamos que devemos fazê-lo e que juntas podemos consegui-lo.

O Cantinho do Vinil

Na Biblioteca de Mulheres temos o Cantinho do Vinil,  estamos a construir a nossas própria coleção de vinis, clássicos, raridades e até de bandas mais atuais. Se tiverem vinis em casa podem vir ouvi-los neste cantinho enquanto descobrem livros, autoras ou conversam com outras apaixonadas pela literatura e o vinil.

A ideia é que as sócias de vida e amigues possam não só ouvir LPs na livraria mas também requisitar discos, escutá-los, e depois devolve-los, como também deixar álbuns da sua coleção para que outras pessoas possam conhecer.

A ideia deste cantinho surgiu quando nos demos conta que não podíamos ter todos os discos que gostaríamos mas que, partilhando com outras pessoas, teríamos o acesso a muito mais álbuns. O Cantinho do Vinil começou com a doação do gira-disco por parte de uma sócia de vida ao qual se juntaram alguns vinis da coleção da livreira e das colaboradores da Confraria e de doações vindas de diferentes Confreiras e amigues. Se tiverem vinis que já não querem por algum motivo podem doa-los ao nosso catinho :) ♥

 

 

Anúncios