Sábado 12 de Maio, um pedacinho da Palestina na Confraria

A Confraria Vermelha e a autora  Shahd Wadi   têm o prazer de a/o convidar para a apresentação do livro  “Corpos na Trouxa | Histórias-artísticas-de-vida de mulheres palestinianas no exílio” de Shahd Wadi

Contamos com a presença de todas e todos na sábado, 12 de Maio, pelas 16h30 na Livraria Confraria Vermelha.

16h30

Apresentação do Livro 

“Corpos na Trouxa | Histórias-artísticas-de-vida de mulheres palestinianas no exílio” de Shahd Wadi

O livro será apresentado por Cristina Néry, a que se seguirá uma curta intervenção da autora e leitura de alguns excertos do livro.

Sinopse
Enquanto mulher palestiniana, trago comigo este livro como o meu próprio corpo na trouxa do exílio. “Corpos na trouxa” trará também consigo um dia o meu corpo na trouxa do regresso a uma Palestina livre. Foi a trouxa que me deu a conhecer a história do exílio da minha família da Palestina. E foi ela que me ensinou a conhecer-me a mim mesma. De tudo isto trata este livro.
“Corpos na trouxa” são as histórias de vida de mulheres palestinianas no exílio contadas pela arte e pelos corpos. Através de criações artísticas e culturais contemporâneas, estas mulheres narram a história da Palestina que acontece no seu corpo, uma história que é também a minha. Fica a pergunta: será que podemos recriar nos corpos e na arte o nosso lugar perdido e a nossa base de resistência feminista e palestiniana?
Um poema, um filme, uma pintura, um romance, uma música, uma fotografia – eis as trouxas do exílio, que não só acolhem os nossos corpos, as nossas memórias e histórias de vida, como são o lugar onde exercemos a nossa resistência. Este livro é também a minha resistência.

Sobre a autora

Shahd Wadi. Palestiniana, entre outras possibilidades, mas a liberdade é sobretudo palestiniana. Procurou as suas resistências ao escrever “Feminismos dos corpos ocupados: as mulheres palestinianas entre duas resistências”, tese de mestrado em Estudos Feministas pela Universidade de Coimbra, a mesma instituição onde veio a obter o doutoramento. Para os respetivos graus académicos, ambas as teses foram as primeiras no país na área dos Estudos Feministas. Foi então selecionada para a plataforma Best Young Researchers (erd). Na sua investigação, que serve de base a este livro, aborda as narrativas artísticas no contexto da ocupação israelita da Palestina e considera as artes um testemunho de vidas. Também da sua.

18h00

Apresentação do projecto “Espaços livres de apartheid sionista, racismo e anti-semitismo” pelo Grupo Acção Palestina

Inauguração da Confraria Vermelha Livraria de Mulheres como espaço livre de apartheid sionista, racismo e anti-semitismo | Grupo Acção Palestina 
Colocação do símbolo de “Espaço livre de apartheid sionista, racismo e anti-semitismo”, por Shahd Wadi.    

Anúncios