Procurar ideias com Susan Sontag

Eu e Susana Sontag

Retrato realizado por Juan Bastos
Retrato realizado por Juan Bastos


Comecei a explorar a escrita de Susan Sontag mas demorei algum tempo a entrar no universo dela.

Seduziu-me quando comecei a ler os seus diários, como a própria Sontag diz o diário é um material em bruto que permite encontrar a autora na primeira pessoas, um ego desprovido das máscaras que são as suas obras.

Durante décadas Susan Sontag registou nos seus diários a sua personalidade tal como ela a percepcionava e a sua vida como a tinha vivido. Durante semanas fui descobrindo a sua experiência vital, por amores, por leituras, por viagens, por doenças… a sua particular intensidade. 

Nos seus diários não encontramos a celebrada crítica cultural, a narradora e cineasta, admirada quer pela sua singularidade e inteligência como questionada pela sua egolatria e arrogância.. encontramos a sua extrema curiosidade pela escrita, pelo cinema, pela linguagem, pela vida. 

Encontramos as suas obsessões quotidianas e descobrimos como a leitura e a escrita são para Sontag uma forma de pensar.

Pensar e saber são uma experiência corporal por isso os seus diários são pequenos fragmentos dela própria, por vezes incoerentes, dispersos, elípticos e às vezes um simples bloco de notas e citações.

Sontag não estava minimamente preocupada, nos seus diários, com (re)contar coerente e completamente a si mesma ou aquilo que vivia ou pensava.  Contudo, através dos seus apontamentos desconexos, das suas notas para futuros projetos, as listas, infinitas listas que Sontag adorava fazer e nomes, nomes de muita pessoas, algumas famosas hoje, construí(mos) na nossa cabeça um (auto)retrato dela.

Ao terminar os diários decidi fazer uma lista em jeito de homenagem a Sontag, porque eu como ela, tenho uma pequena obsessão por listas.
Fiz uma lista das coisas que me cativaram na leitura dos seus diários e nela própria.
Lista à qual regresso e que se transforma agora, num mapa cartográfico para traçar o cérebro e o coração do primeiro encontro do Clube das Diarista.

No dia 14 de Janeiro 2020 vamos ter o primeiro encontro do Clube das Diaristas, vamos explorar passagens do cérebro e do coração de Susan Sontag, vamos procurar ideias e procurar-nos a nós mesmas nas suas anotações e construir uma constelação de referências através das suas listas, de viagens, livros, filmes, artistas… que nos possam servir de gatilho criativo para nos abrir caminho através dos silêncios, daquilo que desapareceu, do impensado e do não falado. 

Ler em conjunto passagens dos diários de Sontag que se transformam em buracos invisíveis da realidade onde a escrita encontra o seu caminho perguntando quem rompe esse silêncio e sobre o tipo de silêncio que se rompe. 

Dia 14 de Janeiro vamos começar (e/ou continuar) a romper o silêncio com o Clube das Diaristas. Mais informação aqui»»

 

A tua opinião é importante

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s